Fazendo o bolo de aniversário !!!!

Os bolos de aniversário são divertimento e fáceis de fazer. Os bolos de aniversário do miúdo são provavelmente a maioria de divertimento a fazer. Os bolos de aniversário  são uma maneira enchanting e mágica comemorar o partido de aniversário da sua criança.

Os bolos de aniversário de Themed estão ganhando a popularidade para o excitamento e a surpresa que extra críam.

 No mundo de hoje você pode começar bolos de aniversário em quase todos os tipos de formas e de tamanhos em todos os sabores e decorações diferentes.

 Os bolos de aniversário são doces e deliciosos. Os bolos de aniversário Sculptured são sempre perfeitos!



Se você preferir fazer tudo do risco e cozer seu próprios bolos de aniversário certificam-se você planta ele todo para fora antes de começar. Tentar começar pontas, técnicas e receitas úteis do baking fazer o bolo grande. Há uns fundamentos aos bolos do baking que se aplicarão a cada bolo que você cría.

Você sabe que você aperfeiçoou o baking o bolo quando o scent do bolo enche o ar e é como estar dando vida.

Tentar sua mão em decorar estes bolos de aniversário. Estão aqui algumas pontas ao decorar bolos de aniversário, certificam-se você a crosta de gelo do achado que é fácil de trabalhar com, que você encontra o tubo correto da cor e da escrita para escrever no bolo. Encontrar o bolo decorar livros para uma idéia do bolo de aniversário que caiba suas necessidades. Você pode falar sobre o bolo que decora com os povos no Internet para começar idéias. Uma técnica decorando que eu me usei no passado decorar bolos de aniversário de minha filha é usar brinquedos pequenos no alto do bolo. Encontrar receitas do bolo dos alimentos de Kraft junto com retratos e instruções geralmente fá-la mais fácil e redu-lo o stress em que tipo de bolo a fazer.



O que faz um aniversário perfeito é o sabor do bolo de aniversário. Desde que você está pensando do bolo, o que é o especial alguém sabor favorito para o bolo.

 Certificar-se que seu bolo é muito húmido e claro com um sabor intenso. Tentar comprar o sabor favorito do bolo de aniversário da menina ou do menino do aniversário; isto é de sentido único deixou-os conhecê-lo pôs realmente algum pensamento nele. O mesmo vai para a crosta de gelo e decorar, certifica-se que você para começar algo que o convidado da honra gostaria, não algo você gosta. Você pode fazer coisas bonitas com fondant mas o sabor deixa algo ser desejado. Você pode também querer experimentar mudando o sabor da mistura que de bolo você se usa demasiado. Você pode também adicionar a cor à crosta de gelo comprando a coloração de alimento e adicionando a à crosta de gelo do vanilla. Esta é uma outra maneira de enfeitar-se acima do bolo.

Vamos enfrentá-lo, bolos de aniversário são especial ao convidado do aniversário da honra. As formas de bolos de aniversário são um negócio grande; você não tem que apenas fazer round.

 

 Os bolos de aniversário das crianças são sempre um sucesso enorme; comem sempre o bolo e pedem-no frequentemente mais. As escolhas para bolos de aniversário são numerosas.

Hoje, os mais populares são os CUP-CAKES, os bolos no palito e docinhos lollypop...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lindo! Bolo no palito da doceria Jean et marie.Amendoim ou maracujá com doce de leite (R$ 9, cada).www.jeanetmarie.com.br

 

divirta-se e boa festa!!!

CROQUEMBOUCHE....ou será toptiercakes?

     

   CROQUEMBOUCHE

    

Dedicamos esta matéria a nossa amiga blogueira...KARINLIRA...com nossos agradecimentos caramelados!!

 

Croquembouche é um tradicional bolo de noiva francês ,

a sua criação normalmente vai para o grande chef pastelaria, Antoine Careme (1783-1833) que Deslumbrados Europa, com espectaculares estruturas feitas de açúcar fiado, maçapão, Nougatine doce e outros ingredientes. O croquembouche, cujo nome significa "crunch na boca" é uma versão bastante simples de sua criação, e sua popularidade se propagou a partir de França para outros países como uma espécie de celebração ou diversas bolo de noiva. Na verdade, Careme (algumas vezes chamado de "Antonin") se diz ter construído o seu bolo em forma de um turco Fez, em vez da forma cónica sabemos, mas fê-lo fazer com creme jatos, que são a base do bolo de nós chamamos de croquembouche .

A tradução exata da palavra é "uma rachadura na boca " ou "Esmaga na boca " porque a sensação de ter uma explosão enquanto se come.

O croquembouche foi utilizado como um bolo de comemoração para casamentos pela nobreza francesa desde o século 18. Cada hóspede casamento traria um "pão doce" afim  de  criar uma torre destes  jatos. Como ele tem tradição, a esperança era que esta cerimônia, iria conceder-lhes uma vida próspera em conjunto, que naqueles dias de curso incluído ter muitos filhos.

 

O bolo em si consiste de bolinhos (bombinhas) preenchido com um baunilha crème confeitaria, realizada em conjunto com um deliciosa coberturade caramelo. Embora tradição pede para que ela seja decorada com açúcar amêndoas, existem muitas maneiras de servir este bolo versátil. Eles vão desde a surra-lo com a garoa fiado açúcar escuro ou chocolate ao  leite durante toda a pirâmide.

 

Tal como acontece com bolos casamento tradicional, durante o corte do bolo, a maioria dos casais posam com uma faca contra o croquembouche antes que seja levado para servir. Ao contrário dos tradicionais bolos recepções informais, é ideal para sair  da mesa do buffet para convidados  mordiscar durante a recepção. Tradicionalmente, o croquembouche é servido por bater-se levemente para desprende-los quando caramelizados, , e junto a bandeja, garfinhos de fondant, ou mesmo, palitinhos personalizados ou até mesmo com simples guardanapo em uma das mãos e a delícia em outra. Como o croquembouche tem um árduo caramelizado exterior, você tem de quebrá-lo com um pequeno martelo, o que permite então a Choux pães devem ser separados e servido.

 

Tal como para servir o bolo - é a tradicional utilização de um pequeno martelo. uma garrafa de champanhe ou até mesmo uma espada para quebrar o bolo de intervalo, mas eu achei usando dois garfos para meter o nariz em três jatos soltos a partir do bolo vai fazer sobre um serviço da sobremesa. Comer é nenhum problema. Basta comer um crunch-in-a-boca  após o outro!Ou quem sabe, a idéia mais moderna de servir mini croquembouches, individuais a cada convidade, poderá ser excêntricamente sugestivo e um mimo especial!!!!   

 

Hoje em dia, vale o mais prático e diferente...que tal palitinhos personalizados e elegantes??? Ou pode ser servido com dois pagens, lado a lado, um com a torre, e outro com pratinhos  e garfinhos de fondant!!!!Vale uma taça de seu melhor flout para acompanhar!!!!Boa festa!!!!

 

O que é croquembouche
Literalmente "crunch na boca", croquembouche é uma sobremesa tradicional francesa feitas de profiteroles recheados com creme ou creme confeitaria, amontoados em uma forma de cone e decorado com fiadas de açúcar.



Quando realizados profissionalmente, no cone é formado em torno de um molde de aço inoxidável e os profiteroles estão anexados uns aos outros com caramelo. A sobremesa está acabado retirada do molde. Algumas versões são colocados sobre uma base Nougatine e decoração varia. Croquembouche geralmente é servido em tais casamentos e festas comunhões.


"Eu fiz isto há um ano o casamento de um amigo e ele era bonito e fácil de fazer!

Eu fiz todos os jatos Choux um ou dois dias de antecedência, eles precisam ser completamente resfriados e, em seguida, colocar em recipientes hermeticamente fechados, fiz a pastelaria creme no dia anterior, bem guardados nos sacos de congelamento, na geladeira.

 

 Na manhã do casamento eu recoloquei todos os folhados no forno para enrolar-los de novo e preenche-los então, com o creme.

 

Contrariamente às instruções da receita, basta para ter certeza de que a pilha não colapso, não preencher, no meio da pilha mas, enfiar-los juntos! Eu fiz  a minha 4 horas à frente e ficou um sobre o outro bem justinhos!. Como os jatos são muito secos não devem ficar demasiado empapado.

 

Veja como preparar...

 

A massa, é a básica para profiterólis:

 

Ingredientes:

1/2 xícara(s) (chá) de manteiga

1 xícara(s) (chá) de água

1 xícara(s) (chá) de farinha de trigo

4 unidade(s) de ovo

Preparação:

Coloque a manteiga e a água numa panela,leve ao fogo alto até ferver.

Junte de uma só vez a farinha e misture com uma colher até soltar do fundo da panela e formar uma bola.

Retire do fogo e junte um ovo de cada vez,misturando e batendo bem com a colher.

Coloque a massa em um saco de confeitar e faça montinhos sobre uma assadeira untada com manteiga ,deixando um espaço entre elas.

Leve ao forno quente,pré-aquecido,por 45 minutos ou até ficarem douradas,secas e firmes.

Retire do forno,deixe esfriar.

Observação:Acrescente os ovos,um de cada vez,para a massa não ficar muito líquida.

 

Preparo e montagem...


1. Preaquecimento o forno quente a 210C. Coloque a manteiga com 1 1 / 2 xícaras água e agitar a médio calor chega até a mistura à ebulição. Retirar do calor e bater rapidamente na farinha. Retornar ao calor e continue batendo até a mistura vem junto e deixa a lateral da panela. Deixe esfriar um pouco.

2 Bata a mistura para liberação de mais calor. Aos poucos adicione o ovo batido, cerca de 3 teaspoons de cada vez. Bata bem entre cada adição até que todos os ovos e foi adicionado à mistura é espessa e brilhante - uma colher de pau deve descansar em posição vertical no mesmo. (Se ele for muito corrimento, o ovo foi adicionado muito depressa. Bata  por vários minutos, ou até espessada.) Inicial assando 3 bandejas com água - o que cria vapor, ajudando a aumentar os jatos.

Você precisará de cerca de oito grandes jatos (use 1 colher de sopa para cada ). Variar o restante, reduzindo gradualmente o tamanho. Um pequeno edredom é igual a cerca de 1 heaped teaspoonful de mistura.

 

 Asse em forno 180  por   20-30 minutos, até quando a massa ficar oca  e dobrar  de tamanho .Deixe-os no forno para secarem. (Pode ter necessidade de preparar e cozinhar-los em dois lotes.)

3. Para fazer o recheio, coloque o leite e a baunilha em uma panela de feijão. Aquecer suavemente até que o leite quase borbulhe. Retirar do calor e deixar arrefecer um pouco. Bata as gemas, açúcar e farinha até espessa e pálida. Gradualmente coloque uma colher de whisk no leite quente. Adicionar todos ingredientes.Agitar a médio até que o creme de calor ferve e engrossa. Raspe a baunilha feijão e acrescente o creme. Cubra a superfície do creme com plástico para evitar formar uma pele e a esfriar completamente.

4. Colocar em uma sacola com um bico de encanamentos menos de 1 centímetro. Faça um pequeno furo na base de cada folhado para  encher com creme de ovos.

5. Coloque 2 xícaras de açúcar em uma panela com 1 xícara de água. Leve ao fogo baixo calor sem mexer. Levar à ebulição e cozinhe até ficar  levemente dourada. Retirar do calor e mergulhar a base do pan em água fria.

 

6. Para montar, comece com os grandes jatos. Mergulhar as bases de caramelo o suficiente para cobrir todo o jato.Desenvolver no sentido de uma forma de cone, utilizando pequenos jatos mais perto do topo.

 

7. Faça o resto do caramelo e, em seguida, mergulhar dois garfos nele. Esfregue as costas dos garfos juntos até pegajoso, em seguida, puxe-las separadas. Respingue em círculos o caramelo ao redor do Croquembouche.

 

Perfeito...está pronto!!!!

 

TORTILLA DE PATATA...UM EMBLEMA ESPANHOL!!!

                           

Encerrado o combate, o general Tomás de Zumalacárregui (1788-1835), cansado e faminto, bateu na porta de uma casa vizinha dali e pediu comida. Comandante severo e hábil, ele lutava na Primeira Guerra Carlista, deflagrada pelos partidários de um ramo dos Bourbons que se opunha à minoria liberal e adepta das idéias da Revolução Francesa, controladora do Exército e da administração de seu país. Uma camponesa o recebeu com simpatia, mas primeiro ressalvou ser pobre e ter pouca coisa a oferecer. Depois, descascou e cortou algumas batatas, colocou-as para fritar numa frigideira e adicionou ovos batidos. Teria nascido desse jeito uma das receitas emblemáticas da cozinha espanhola. Atualmente, chama-se tortilla de batatas e comporta incontáveis derivações. Afirma-se que o episódio envolvendo Zumalacárregui aconteceu no interior da região de Navarra, junto aos Pirineus, no norte do país. Aliás, o general carlista sucumbiu em conseqüência de um tiro que levou pouco depois, em Bilbao, reconhecendo posições inimigas. A voz do povo garante que, antes de falecer, comeu um pedaço de tortilla de batata.

A batata chegou à Espanha em meados do século 16, procedente da América do Sul, levada pelos colonizadores espanhóis. Considerada exótica, foi plantada nos jardins botânicos. Só mais tarde reconheceram sua importância culinária e nutritiva. Inicialmente, os espanhóis a comiam assada, na forma de ''''chuleta de huerta'''', como falavam, ou cozida em água. Mas logo a fritaram e harmonizaram aos ovos batidos. Assim surgiu a tortilla clássica, sempre redonda e amarela, capaz de atrair em volta uma legião de apreciadores. Hoje, subsiste a receita antiga. Mas comporta variantes. Pode levar cebola, pimentão, aspargos verdes, feijões ou ervilhas (esta tortilla, se combinada ao ovo, pimentão e chouriço, passa a ser batizada de paisana), legumes frescos da horta (nesse caso, denomina-se murciana), ervas aromáticas, cogumelos silvestres (à caçadora), caracóis, fígado de frango, chouriço butifarra com feijões cozidos (catalana), frutos do mar e peixes, sobretudo filhotes de enguia, bem como sardinha e atum.


RECEITA ORIGINAL BASCO

Ingredientes

1Kg de Batatas

2 cebolas médias

6 ovos frescos

Azeite de oliva

Sal

 Modo de fazer:

Quebre os ovos numa vasilha e bata-os com um garfo e uma pitada de sal

Corte as duas cebolas em cubinhos. Refogue-as sobre fogo médio em 4 ou 5 colheres de azeite e uma pitada de sal. A cebola deve ficar macia e transparente. Deixe resfriar, misture com os ovos batidos e deixe de lado.

Pele as batatas e corte-as em fatias finas de 2 a 3 mm de espessura. Numa frigideira faça fritar as batatas em bastante azeite até ficarem macias. Coloque-as num coador para drenar bem o azeite. (Esse azeite poderá ser usado posteriormente) Misture-as com os ovos batidos e as cebolas e corrija o ponto de sal.

Numa frigideira de 20cm, com antiaderente, coloque umas 2 colheres de azeite de oliva. Quando bem quente, despeje a mistura de ovos, cebola e batatas. Quando a parte de baixo estiver cozida, dê a volta a tortilla. Para isto coloque um prato em cima da frigideira e vire para que a tortilla fique no prato. Depois com cuidado despeje-a na frigideira para cozinhar o outro lado. Com um garfo "empurre" as bordas para dentro de modo a ficar redondinha e gordinha.

Quando cozida, ela deve ficar macia e úmida, despeje-a num prato e deixe-a descansar. A Tortilla é melhor morna que quente!

BACALHAU EM GRANDE ESTILO !!
 
 
                                           BACALHAU
 
                                   
 Pesca do bacalhau
O bacalhau chegou ao Brasil com a vinda da família real portuguesa, e tornou-se um prato importante em nossa culinária, porque, além dos povos lusitanos, também vieram para cá os espanhóis e os italianos, cada qual preparando o bacalhau conforme a sua tradição. Imagine então a variedade de pratos que temos aqui em nosso país!

O bacalhau aqui e em muitos países é o dono da festa no Natal, na Quaresma e na Semana Santa. Por estarmos em tempo de Quaresma, resolvi pesquisar na internet sobre esse peixe e vejam o que eu descobri:

Bacalhau não é peixe! Por essa, vocês não esperavam, não é mesmo?

Pois é, bacalhau é o processo de salgação do peixe que acabou sendo chamado de bacalhau. Mas será que todos os peixes podem se transformar em bacalhau?

Não, apenas cinco tipos de peixe do gênero Gadus, pertencente à família Gadidae e que habitam as águas frias e límpidas ao redor do Círculo Polar Ártico. São peixes que estão habituados a uma determinada temperatura, vivem viajando, a fim de permanecerem em águas propícias. São encontrados nos mares da Noruega, Rússia, Islândia, Canadá e Alaska, mas é no noroeste do mar da Noruega, arquipélago de Lofoten, que os cardumes migram quando atingem a idade entre 6 a 7 anos, propiciando condições ideais de pesca e transformando o país no maior exportador de bacalhau do mundo.



Península da Escandinava

Os grandes pioneiros no consumo do bacalhau foram os vikings, povos da Escandinava, região formada pela Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Islândia. Esses povos eram excelentes navegadores e necessitavam de alimento que agüentasse as suas longas viagens e que pudesse ser consumido em pedaços. Ao descobrirem o peixe, passaram a secá-lo ao ar livre, só que eles desconheciam o sal. Registros mostram a existência de fábricas para o processamento na Islândia e Noruega desde o século IX.

Os Bascos, povos que habitavam as duas vertentes dos Pirineus ocidentais (Espanha e França) foram os primeiros a comercializarem o bacalhau, pois eles conheciam o sal e registros apontam que por volta do ano 1000 o bacalhau já era comercializado curado, salgado e seco ao ar livre sobre as rochas. Este processo aumentava em muito a capacidade de conservação do alimento.




Secagem do bacalhau


Os portugueses disseminaram no mundo a utilização culinária do bacalhau no século XV, durante as grandes navegações, uma vez que necessitavam de alimentos que não fossem perecíveis e que suportassem as longas viagens que duravam, às vezes mais de três meses na travessia do Atlântico.


Fizeram tentativas com vários peixes da costa portuguesa, mas foram encontrar o peixe ideal próximo ao Pólo Norte. Foram os primeiros a pescar o bacalhau na Terra Nova (costa leste do Canadá), local já descoberto pelos vikings. Registros mostram que em 1508 o bacalhau correspondia a 10% do pescado comercializado por Portugal.

O bacalhau foi uma grande revolução na alimentação. Na época os alimentos estragavam facilmente, uma vez que a geladeira só foi inventada no século XX e a precária conservação limitava em muito a comercialização dos alimentos. O método de salgar e secar o alimento, além de garantir a sua conservação mantinha todos os nutrientes e apurava o paladar. A carne do bacalhau ainda facilitava a sua conservação salgada e seca, devido ao baixíssimo teor de gordura e à alta concentração de proteínas.
                                        
A religião católica teve um importante papel na disseminação do bacalhau na alimentação, especialmente entre os países católicos, pois como impunha o jejum em determinadas épocas do ano, como por exemplo, às sextas-feiras, durante a Quaresma e em muitos outros dias do calendário cristão, nos quais se proibia o consumo de comida “quente” como carne e permitindo apenas a ingestão de comida “fria”, como os peixes. Desta forma os dias de jejum acabaram-se tornando dias de bacalhau. Esse alimento na época era barato, possibilitando seu alto consumo pelas camadas mais populares.

A carne do bacalhau é nutritiva e de fácil digestão, rica em minerais, tais como, cálcio, ferro, fósforo, potássio, sódio e vitaminas B2 e B12. Rico em ômega 3 e com quase zero de colesterol.


                                                    TIPOS DE BACALHAU

                                 

O primeiro é o Cod Gadus Morhua, o bacalhau do Atlântico Norte, o legítimo. È o mais caro e de melhor qualidade. Sua carne é cor palha e ao ser cortado apresenta lascas grossas. Tem a cauda mais reta e seu peso é acima de 3 kg (também conhecido como bacalhau do Porto e bacalhau da Noruega).

O segundo é o Saithe, bem parecido com o Cod. Desfia facilmente é mais escuro e de sabor mais forte. Sua diferença está na cauda que é em forma de V. è utilizado em receitas de assados, grelhados e cozidos.

O terceiro é o Ling, de formato mais estreito e alongado, sua pele é grossa, muito consumido no Brasil. A carne é branca e seu custo menor.

O quarto é o Zarbo, o menor de todos em tamanho, possui a cauda arredondada e pele espessa e dura. Quando desfiado, as lascas são mais duras. É bom para ser utilizado em bolinhos , tortas ou quando sua textura não for importante. É mais barato e popular

E finalmente o quinto que é o Cod Gadus Macrocephalus, o bacalhau do Pacífico ou do Alaska, é bastante semelhante em aspecto ao Cod, mas não se desmancha em lascas, é fibroso e não tem o mesmo paladar. Sua carne é bem clara, quase branca.


Os 5 tipos de bacalhau


Dicas para a compra e o preparo do bacalhau:

A) Ao comprar o bacalhau, verifique a sua cor que deverá ser “palha”, não deve conter manchas escuras (pretas ou marrons), pois podem ser resíduos do peixe como sangue, bílis, etc... significando que ele não foi bem tratado.

B) Verifique também se ele está bem seco; para isso, segure a peça do bacalhau pela “cabeça” e solte a cauda. Se ele ficar reto ou quase reto significará que ele está bem curado e sem umidade.

C) O legítimo bacalhau é largo e permite o corte em lombos.

D) O bacalhau deve dessalgar e hidratar. Pode ganhar até 20% peso se for corretamente dessalgado.

E) Calcule de 150 a 250g de bacalhau hidratado por pessoa, dependendo da receita.

F) Após cortá-lo em postas, coloque-o submerso em um recipiente sob um fio de água por aproximadamente10 minutos.

G) Coloque o vasilhame com o bacalhau coberto de água dentro da geladeira (na parte de baixo). Na água gelada ele ficará tenro e consistente e não vai exalar cheiro algum.

H) O tempo médio para dessalgar dependerá da altura das postas:

bacalhau desfiado --- 6h
postas normais --- 24h
postas grossas ---40h
postas muito grossas --- 48h

troque a água de 4 a 5 vezes por dia

I) Uma vez dessalgado, coloque-o numa panela e leve ao fogo brando. Atenção, a água não deverá ferver, pois a fervura prejudica o paladar e resseca a carne. Antes de entrar em ebulição, retire do fogo. O bacalhau já estará pronto para o preparo

J) Reserve a água em que cozinhou o bacalhau, pois ela é especial para cozinhar as batatas ou o arroz que acompanharão o prato.
 
    

Após toda essa história e dicas, acredito que já estamos prontos para preparar e saborear um bom prato de bacalhau! Aliás, conhecer um pouco a origem dos alimentos, só faz aumentar a vontade de comer e saboreá-los com mais prazer e elegância. Vamos então às receitas e bom proveito!!!



PENNE AL BACCALÁ

Ingredientes:

500g de penne di grano duro
750g de bacalhau (postas pequenas), dessalgado
1 cebola média picada
3 dentes de alho picados
2 tomates maduros sem a pele e as sementes picados
1 caixa de purê de tomates
½ copo de vinho branco seco
Azeite
Manjericão e sal a gosto
Farinha de trigo para empanar as postas

Modo de fazer:

Colocar as postas numa panela com água fria e levar ao fogo moderado, retirar quando a água começar a ferver.
Empanar ligeiramente as postas de bacalhau com farinha de trigo e fritar rapidamente em óleo ou azeite. Reservar

Em uma panela cobrir o fundo com azeite, dourar a cebola e os alhos, adicionar os tomates, deixar refogar um pouco, colocar a caixa de purê de tomates, a mesma medida de água, o sal e deixar apurar. Logo que estiver pronto adicionar meio copo de vinho branco, esperar evaporar, colocar as postas de bacalhau dentro do molho, tampar a panela e deixar cozinhar mais um pouco para que o bacalhau se integre ao molho. Adicionar as folhas de manjericão somente no final apenas para aromatizar. (o manjericão deverá ser adicionado sempre no final das preparações, pois o cozimento prejudica o seu aroma).

Cozinhar o penne em água salgada e retirar quando estiver ao dente, escorrer e temperar com o molho.

Este penne poderá ser servido com queijo parmesão ralado. Alguns dizem que o queijo não combina com massa à base de peixe, mas gosto não se discute! Fica a seu critério, pois na culinária, tudo é uma questão de gosto!!!

Sugestão: Prepare esse prato na panela wok, além de ser mais fácil o prato poderá ser servido nela e ela manterá todo o sabor e o aroma dos ingredientes.


BACALHAU AO MOLHO

Ingredientes:

600g de bacalhau dessalgado e em lascas
1 cebola grande picada
1 cebola pequena picada
2 dentes de alho picados
1 caixa de purê de tomate
1 colher de sopa de manteiga ou margarina
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 caixa de creme de leite desnatado
2 xícaras de leite
Cheiro verde picado (salsinha e cebolinha)
Azeitonas pretas e sal a gosto
Azeite

Modo de fazer:

Colocar o bacalhau numa panela com água fria e levar ao fogo moderado, retirar quando a água começar a ferver.

Molho vermelho
Cobrir o fundo de uma panela com azeite e dourar a cebola e os alhos, adicionar o purê de tomate, a mesma medida de água e deixar cozinhar. Na metade do cozimento adicionar o bacalhau e deixar apurar, no final colocar as azeitonas e o cheiro verde. Reservar.

Molho branco (bechamel)
Dourar em uma colher de manteiga ou margarina a cebola bem picadinha, adicionar a colher de farinha de trigo mexer bem, retirar do fogo para colocar o leite e voltar ao fogo mexendo sempre para não empelotar. Quando tiver engrossado, colocar sal e o creme de leite misturando bem.

Montagem:
Arrumar numa travessa refratária o bacalhau com o molho vermelho, o creme branco e levar ao forno para gratinar. Na hora de servir salpicar batata palha por cima.

Servir com arroz branco.
 
BACALHAU  ORVIETO
Ingredientes:

500g de batatas cozidas
500g de bacalhau dessalgado e em lascas
1 cebola média picada
4 tomates sem pele e sem sementes picados
1 pimentão vermelho picado
Azeitonas pretas e cheiro verde
Azeite
Sal a gosto

Modo de fazer:

Colocar o bacalhau numa panela com água fria e levar ao fogo moderado, retirar quando a água começar a ferver.

Cozinhar as batatas na água em que cozinhou o bacalhau até ficarem macias.
Cobrir o fundo de uma panela com azeite e dourar a cebola, adicionar o pimentão, refogar mais um pouco e acrescentar os tomates picados , deixar apurar, adicionar no final as azeitonas picadas grosseiramente e o cheiro verde, ajustar o sal. Cuidado com o sal, experimentar sempre antes, pois o bacalhau às vezes ainda está com sal.

ALFAJORES....UMA DELICIOSA OPÇÃO EM SEU BRUNCH OU COFFEE BREAK!!!

Ingredientes Massa
      100g manteiga
      100g de açúcar 
      Ralado limão c / n
      Conhaque 1 tbsp
      3 gemas de ovos 
      Amido de Milho 200 g 
      Farinha de arroz ou trigo 50g
      Sal 1 / 2 TSP
      Fermento em pó 1 tbsp


Recheio:
     Doce de leite(pode ser leite moça cozido)


Massa

.Bata a manteiga com o açúcar branco , limão e incorporar as raladas de limão , por fim as  gemas .Agregar rastreada e finalmente os ingredientes secos até que ela forme uma massa mole que não foi grude nas mãos.

.Coloque para  descansar na geladeira 20 minutos. Assando uma linha com papel manteiga. Filme no papel polvilhadas com amido de milho, não esticar a massa muito fino, o Topos corte cortante com 4 cm.Cocinar em forno pré-aquecido por 8 a 10 minutos a 180 º C.

Armados
Quando as tampas são recheados com doce leite frio regar com CHOCOLATE ou glacé.

C O L A C I O N....UMA OPÇÃO CORDOBENHA, PARA SUBSTITUIR OS BEM CASADOS, COM A NOBRE RECEITA ARGENTINA!!!!

Colacion Cordobes

Ingredientes: 
2 xícaras de farinha
8 gemas de ovos
1 / 2 colher de chá fermento em pó
1 colher de sopa de açúcar
1 / 2 chícara  de água fria

doce de leite pastelaria para encher


Preparado:
. Misture a farinha com as gemas e  
  adicionar açúcar, o fermento em pó . depois à coloque para descansar
  por 15 minutos.
. abrir a massa  até 1 / 4  centímetro   espessura.

Cortar em círculos com os dedos e é dada uma forma fechada. 

. colocar para assar no forno quente.

. Deve controlar o cozimento, como a massa não deve ser queimada também.

. Quando assado e frio já encha o buraco com o doce
  leite e cobertos com um banho. com açúcar  impalpáveis
  colher de sopa de água fervente.

BOMBONS MACIÇOS

Com o chocolate já resfriado, encher todos os buraquinhos da forma e bater contra a mesa para tirar as bolhas de ar. Limpar o excesso de chocolate com uma espátula. Levar à geladeira por, no máximo, 15 minutos de boca para cima. Após esse tempo eles devem estar descolados do fundo da forma. Desenformar como o ovo, batendo a forma na diagonal sobre a mesa.
Colocar os bombons sobre um papel manteiga e deixar descansar por, no mínimo 10 e no máximo 24 horas, antes de embrulhar no papel chumbo.
Se desejar alterar o sabor do chocolate pode-se acrescentar essência de diversos sabores (menta, cereja, etc.) ao chocolate ainda quente (antes de resfriar e temperar). Para isso deve-se acrescentar 10 gotas de essência para cada 100 gramas de chocolate ou ainda, uma colher de sopa de uma bebida (rum, conhaque, licor, etc.).
Para fazer bombons crocantes pode-se usar o “crocante” preparado (como ensinado no ovo crocante) ou flocos de arroz. Para o bombom, misturar 1 colher de sopa para cada 100 gr. de chocolate já resfriado.
O bombom maciço dura até 8 meses e o crocante até 6 meses

.BOMBONS RECHEADOS

Para fazer bombons recheados deve-se fazer camadas como para os ovos de páscoa. Fazer sempre 2 camadas. Pode-se colocar vários tipos de recheio como : brigadeiro, beijinho, doce de leite, gotas de licor, fondant, etc.

O recheio mais comum é à base de fondant. Esses recheios podem ser feitos com bebidas, sucos concentrados, essências ou geléias. Para isso, misturar para cada 100 gr. de fondant, 1 colher de sopa de bebida (rum, conhaque, licor, etc.), ou 10 gotas de essência, ou 1 colher de suco concentrado de frutas, ou 1 colher de sopa de geléia. Acima de 100 gr. de fondant, bater a mistura na batedeira.
Um bom exemplo é o bombom recheado de cereja que é muito procurado. Para fazê-lo, misturar ao fondant conhaque com essência de cereja ou licor cherry brandy e colocar um pedaço de cereja em cada bombom.
Se o recheio for somente a mistura de fondant (sem pedaços de fruta), colocar o suficiente para sobrar somente espaço para colocar o chocolate para cobrir. Caso contrário, colocar a mistura até o meio do bombom, colocar o pedaço de fruta e cobrir com o chocolate. Se a mistura levar bebida de qualquer tipo, somente limpar com a espátula o excesso de chocolate sem bater a forma. Caso contrário, cobrir com o chocolate, bater para tirar o ar e retirar o excesso de chocolate. Levar à geladeira por 13 minutos (já ficou 2 minutos para formar a casca) e depois desenformar como o bombom simples.
Nos bombons recheados com algum tipo de bebida esta, após 10 dias de preparo, ficará separada do fondant formando um recheio líquido.
Os bombons recheados de fondant têm validade de 4 meses, os que levam leite condensado (brigadeiro, doce de leite, etc.) 2 meses e os que levam côco apenas 1 mês (utilizar sempre côco de pacote (seco), nunca o fresco).

RECEITAS DE RECHEIOS

Bombom Sensação

Misturar para 100g de fondant, ½ colher de sopa de rum, 5 gotas de essência de cereja e 1 gota de anilina para colorir. Desse modo o recheio não separará e ficará cremoso.

Bombom de Nozes

Misturar 1 lata de leite condensado, 1 xícara de nozes picadas e 2 colheres de licor de menta.

Bombom de Gergelim

Fazer um caramelo com 1 xícara de açúcar. Acrescente 1 xícara de gergelim torrado e 1 xícara de leite mexendo até o caramelo dissolver totalmente. À parte, misture bem 1 gema, 1 colher de manteiga e 1 colher de farinha de trigo. Abaixe o fogo e acrescente esta mistura ao creme de gergelim mexendo por cerca de 5 minutos. Deixe esfriar.

Bombom Mousse

Derreta em banho-maria 150g de chocolate meio amargo, mexendo com uma espátula. Na batedeira, bata 3 claras em neve e reserve. Numa outra tigela, bata as gemas e, sem parar de bater, despeje o chocolate em fio. Retire a tigela da batedeira e misture delicadamente as claras batidas. Leve a mousse à geladeira por cerca de 4 horas, para ficar firme. Devido à composição da mousse, estes bombons só se conservam por 3 dias.

Bombom de Maçã

Leve ao fogo baixo, numa panela média, 3 maçãs médias descascadas e picadas, 3 colheres de açúcar e 2 pauzinhos de canela, mexendo até que as maçãs cozinhem. Passe a mistura pela peneira para formar um purê. Deixe esfriar. Devido o recheio de maçã ser bastante úmido, estes bombons devem ser servidos em período não superior a 2 dias, para não sofrer alterações.

BOMBONS BANHADOS

Existem vários tipos de bombons banhados : recheios consistentes e que podem ser “enrolados” (modelados), frutas inteiras ou em pedaços, biscoitos, bolos, etc.

Depois de resfriar e temperar o chocolate, usando o garfinho próprio, mergulhe o recheio no chocolate até obter uma cobertura uniforme. Retire e dê umas batidinhas na lateral da vasilha para escorrer o excesso. Coloque o bombom sobre uma superfície forrada com alumínio. Pode-se levar na geladeira por, mais ou menos, 2 minutos. Se for decorar com frutas, fazer isso antes de levar à geladeira. Se for decorar com chocolate, esperar secar bem. Depois de totalmente secos, apare as rebarbas e embrulhe no papel chumbo, ou coloque em forminhas especiais.

RECEITAS DE RECHEIOS

Bombom Tipo Lollo

Comece colocando 100g de passas sem sementes de molho em 1 xícara de rum e reserve. Misture 1 lata de leite condensado, 200g de chocolate em pó, 400g de leite em pó. Mexa bem até que solte das mãos. Abra essa massa com o rolo na espessura de um dedo, coloque as passas escorridas e dobre. Corte a cada 10 cm, feche as extremidades e banhe no chocolate.

Bombom de Coco

Leve ao fogo 1 lata de leite condensado, 100g de coco ralado (seco) e 4 gemas. Cozinhe até desgrudar do fundo da panela. Retire do fogo, coloque 6 gotas de essência de amêndoa, misture bem, deixe esfriar, faça bolinhas passando pelo açúcar comum. Reserve por 2 horas. Em seguida, pode banhar no chocolate.

Bombom Happy End

Leve ao banho-maria, 250g de chocolate branco e 6 colheres de creme de leite fresco, mexendo até derreter totalmente. Retire do fogo e acrescente 1 xícara de nozes picadas, ½ xícara de biscoito maisena esmigalhado e 1 xícara (café) de licor de menta. Leve a geladeira por 1 hora para adquirir consistência. Corte 2 pedaços de papel alumínio de 30X30 e despeje sobre cada um deles metade da massa. Enrole como salaminho e leve à geladeira por cerca de 3 horas. A seguir, desembrulhe o salaminho, corte em fatias de cerca de 0,5 cm e deixe tomar a temperatura ambiente. Banhe cada um no chocolate ao leite.

Bombom Nougat

Corte em pedaços pequenos (tamanho de bombom) 3 torrones de amendoim, amêndoas ou frutas cristalizadas. Banhe em chocolate ao leite.

Bombom de Damasco e Amêndoas

Deixe de molho, 1 xícara (150g) de damascos secos em água suficiente para cobri-los. No dia seguinte, leve tudo ao fogo com 3 colheres de açúcar até virar purê. Se precisar passe pela peneira para desmanchar e amasse tudo até ficar um recheio bem ligado. Junte as amêndoas, faça bolinhas e banhe no chocolate meio amargo.

Frutas banhadas

Pode-se banhar as frutas diretamente no chocolate, ou ainda, envolvê-las em massa de marzipã antes de banhar.

BOMBONS ESPECIAIS

BOMBOM GELADO DE MENTA

Este é um bombom recheado. Para isso, faça a casca com 2 camadas. Recheie com sorvete de menta, cubra com chocolate e leve ao freezer até endurecer bem. Desenforme e mantenha no freezer até a hora de servir.

BOMBOM BEIJO

Misto de moldado e banhado, este bombom casa dois tipos de chocolate com o sabor nobre da avelã. Numa panela média, leve ao fogo baixo 1 lata de leite condensado, 1 colher de manteiga e ½ xícara de avelã (torrada, sem pele e picada), mexendo até desprender do fundo da panela. Retire do fogo e junte 5 colheres de creme de leite fresco. Despeje num prato untado com manteiga e reserve. Faça a casca do bombom (com chocolate ao leite) com 2 camadas, recheie, cubra e leve à geladeira para endurecer. Desenforme. Para decorar, pegue uma avelã inteira e “cole” com um pouco de chocolate meio amargo no topo do bombom. Depois disso, banhe tudo (bombom e avelã que foi colada) no chocolate meio amargo. Coloque sobre o papel alumínio e deixe secar. Se o dia estiver muito quente, leve na geladeira para endurecer.

BOMBOM CHERRY

Mexa bem, numa panela média, 40 cerejas ao maraschino escorridas, 1 xícara de açúcar e ½ xícara de água. Leve ao fogo baixo e deixe ferver até formar uma calda em ponto de fio fraco (cerca de 10 minutos). Retire do fogo e acrescente o rum. Deixe esfriar. Faça a casca do bombom com 2 camadas de chocolate meio amargo. Recheie cada bombom com uma cereja e um pouco de calda, deixando um pequeno espaço até a superfície, para que o chocolate, ao ser espalhado para formar a base do bombom, não se misture com a calda. Leve à geladeira para endurecer, desenforme e embrulhe em papel chumbo.

DAN-TOP

Esse tipo de bombom é recheado de marshmellow. Esse produto pode ser feito em casa, como explica a receita abaixo dando ao bombom uma validade de 15 dias, ou comprado pronto (de preferência da marca Marvi) dando ao bombom a validade de 3 meses.

Marshmellow : Bater 3 claras em neve até ficarem bem firmes. Sempre sem parar de bater, adicionar lentamente 1/3 de xícara de açúcar. Depois adicionar 1 pitada de sal, 1 xícara de Karo e algumas gotas de essência de baunilha. Bater até que a mistura torne-se um creme firme. Reservar.

Na forma própria fazer a casca do bombom com 2 camadas de chocolate, rechear com o marshmellow, cobrir com um pedaço de folha de waffer para que o chocolate não entre em contato com o marshmellow, cobrir com chocolate, bater para tirar o ar, limpar o excesso com a espátula e levar à geladeira para endurecer. Desenformar como os bombons comuns.

EMBRULHANDO OS BOMBONS

Após o tempo de secagem dos bombons, eles precisam ser embrulhados. Para isso, apóie o bombom sobre uma superfície plana, posicione o papel chumbo e alise o papel, “enrugando-o” em volta do bombom. Com o bombom de cabeça para baixo, dobre as pontas do papel, tomando cuidado para que não rasgue ou dobre para o avesso, mostrando o lado prateado.

Alise cuidadosamente o papel chumbo com a ajuda de um guardanapo de papel. Dessa forma, você garante que o chocolate não derreta ao friccionar o papel chumbo. Gire o bombom sobre a mesa para igualar a sua base.

TRUFAS

A trufa original, criada na França, tem somente uma receita de massa (a descrita abaixo), porém muitas pessoas já fizeram modificações e adaptações a essa receita e continuam chamando de “trufas” devido ao status desta.

Receita : 1 lata de creme de leite s/ soro

400 gr. de chocolate ao leite

250 gr. de chocolate meio amargo

1 colher de mel

1 cálice de conhaque (+- 30 ml.)

Colocar a panela de banho-maria no fogo. Quando a água ferver, colocar na panela de cima o creme de leite e o mel mexendo bem até ficar líquido. Tirar a panela de cima, acrescentar o chocolate picado e voltar ao fogo. Quando o chocolate começar a derreter, desligar o fogo e mexer bem até ficar uma massa homogênea. Tirar do vapor e misturar o conhaque.

Se quiser adicionar frutas secas, colocar após a bebida ser incorporada. No caso de frutas em calda, escorrer bem e adicionar à massa somente quando esta estiver fria.

Colocar a massa em uma tigela tampada e após esfriar levar à geladeira por no mínimo 24 horas antes de banhar no chocolate.

Para moldas as trufas, utilize duas colheres para dar um formato arredondado. Banhe a bolinha no chocolate e retire com o garfinho. Não bata o garfinho para não deformar a trufa, deixe somente escorrer o excesso de chocolate. Após o banho de chocolate as trufas não voltam para a geladeira e podem secar normalmente ou serem polvilhadas (ou passadas) com chocolate em pó ou cacau em pó quando o banho ainda estiver mole.

Existem algumas variações de bebidas e frutas para a massa da trufas. Elas são :
· Conhaque com damasco
· Whisky com nozes ou pêssego em calda
· Cherry brandy com cerejas
· Amareto com amêndoas ou avelãs
· Vinho do Porto com frutas cristalizadas
· Rum com passas ou ameixas
· Licor de Menta
· Licor de Anis
· Licor de Laranja (Cointreau, Grandmarnier)
· Café (1 colh. de sopa rasa de Nescafé dissolvida no conhaque ou amareto)

OS RESPONSÁVEIS PELOS AROMAS E SABORES!!!
INGREDIENTES

Um pouco sobre condimentos

Ervas são folhas de várias plantas. Podem ser frescas ou secas. Especiarias são sementes, brotos, frutas, flores, cascas e raízes de plantas. As especiarias têm um sabor mais acentuado que as ervas. Em alguns casos, a mesma planta pode produzir tanto especiaria como erva. Outros condimentos são elaborados com misturas de especiarias (como o chili) ou de ervas (como o bouquet garni).

Ervas e especiarias podem ser armazenadas em recipientes à vácuo. A maioria das especiarias fica bem armazenada por cerca de um ano, duas vezes mais que as ervas secas, que, quando armazenadas, têm vida útil de seis meses.

 



Veja abaixo algumas das ervas mais comuns utilizadas na culinária.

Manjericão: fresco ou seco, o sabor adocicado é essencial nos pratos italianos.

Louro: proporciona um sabor mais forte a ensopados e pratos com carne. Remova as folhas antes de servir.

Cebolinha: tem um sabor delicado e é normalmente usada como guarnição.


Dill (endro ou aneto): membro da família da salsa, é composto por folhas secas e frágeis. Seu distinto sabor pode ser destaque em qualquer prato, mas deve ser usado com moderação.


Manjerona: com um sabor próximo ao orégano, a manjerona é normalmente usada em peixes, carnes e aves, além de molhos de tomate.


Hortelã: comercializada tanto fresca como seca, é usada em saladas e também em chás.


Orégano: o forte sabor pode facilmente marcar pratos leves. Perfeito na maioria dos pratos italianos.


Salsa: ao comprá-la fresca, procure por maços bem verdes com bom aroma. Para armazená-la, lave bem e escorra o excesso de água. Envolva a salsa em papel toalha antes de colocá-la num saco plástico. Guarde na geladeira até utilizar na preparação de pratos. É normalmente usada como guarnição.


Alecrim: embora não combine com outras ervas, seu sabor peculiar é uma boa escolha para carnes e aves ou para pratos grelhados.


Sálvia: o sabor da sálvia fresca é mais forte que a sálvia seca, entretanto combina com carnes de animais silvestres, aves e recheios.


Estragão: é muito usado em aves, peixes e saladas, bem como em vários molhos. Estragão seco perde o sabor acentuado da folha fresca.


Tomilho: bastante utilizado para adicionar sabor às saladas, carnes, aves peixes, sopas e molhos cremosos. Também popularmente conhecido como 'timo'.

 



Dê mais tempero aos alimentos com:

Pimenta da Jamaica: recebe esse nome porque é semelhante ao sabor da canela, noz-moscada e cravo-da-índia juntas.

Alcaparra: do tamanho da ervilha, é o broto da flor do arbusto da família da Caparidácea. Encontrada principalmente na América Central e no Mediterrâneo, ela dá um gosto acentuado a molhos, patês e aperitivos.


Pimenta de Caiena: essa pimenta vermelha precisa ser usada com moderação para não alterar o sabor do prato. Essencial na culinária latino-americana e meridional.


Chili em pó: como o curry, ele é uma mistura de especiarias picantes e chili.


Canela: enquanto a casca seca é usada principalmente em sobremesas, a canela em pau pode ser utilizada para dar sabor à cidra e outras bebidas quentes.


Cravo-da-Índia: esta especiaria adocicada é comercializada integralmente e é utilizada em carnes assadas e sobremesas.


Cominho: é utilizado em vários pratos latino-americanos e meridionais devido ao seu sabor acentuado. Deve ser usado com moderação.

Curry em pó: é formado pela mistura de várias especiarias como cúrcuma, cardamono, cominho, pimenta, cravo-da índia, canela, noz-moscada e, às vezes, gengibre. O chili esquenta o paladar e o alho seco oferece densidade de sabor. A mistura do curry varia dependendo do uso.


Gengibre: com aspecto retorcido, ele proporciona um aroma e um sabor diferente aos pratos. É muito usado em pratos orientais.


Noz-moscada: com uma fragrância acentuada e um sabor marcante e ligeiramente adocicado, ela é usada em alimentos assados, doces, sobremesas, carnes, molhos, saladas e gemadas.


Páprica: dá um toque especial sem apimentar muito pratos como salada de batatas e frutos do mar.


Açafrão: essa especiaria perfumada é usada, na maioria das vezes, em sopas e risotos.


Cúrcuma: assim como o gengibre, é um ingrediente essencial do curry em pó e já foi conhecida como açafrão da Índia. Deve ser usada com moderação: uma pitada já é o suficiente.

language=javascrip



 
TECNÓLOGO EM GASTRONOMIA EM UNIVERSIDADE FEDERAL!!!!

Unirio abre inscrições para curso de gastronomia

O Curso de Extensão Tecnologia em Gastronomia abrirá novas inscrições para 2009, para seu primeiro módulo em breve, e deve ficar atento ao site da iniversidade. O programa tem o objetivo de formar e atualizar profissionais para o mercado de alimentação. O curso tem a duração de 18 meses e inclui estágio.

As aulas são ministradas pelos professores da Faculdade de Nutrição da Unirio e por chefs da ABAGA. Entre as disciplinas estão Nutrição e Dietética, Higiene e Conservação dos Alimentos, História da Alimentação, Relações Humanas, Gestão de Negócios, Noções de Administração de Material, Curso Prático de Cozinha, Terminologia e Abrangência da Gastronomia, Estruturação de Cozinha e Bebidas.

Para se inscrever é preciso ter o segundo grau completo. O módulo básico tem duração de dois meses. A taxa de matrícula custa R$80, além das duas primeiras mensalidades no valor de R$300. Em seguida, o módulo avançado, com duração de seis meses e mensalidades no valor de R$410. A inscrição sai por R$100.  O último módulo, máster, tem duração de 10 meses e mensalidades no valor de R$520. A matrícula custa R$120. 

Ao final, o aluno receberá um certificado de conclusão. O curso é dado na UNIRIO – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. As aulas acontecem de segunda à quinta-feira, de acordo com os módulos, das 18h às 22h.



Serviço:

Unirio
Endereço: Av. Pasteur nº 296. Urca
Telefone: (21) 2542-7269.

ETIQUETA ORIENTAL Á MESA.

Etiqueta Japonesa à Mesa

Um dos ítens considerados mais importantes dentro da etiqueta japonesa à mesa é a utilização correta do hashi (palitinhos). Utilizados de forma correta, certamente você poderá saborear a culinária japonesa de forma fina e natural.

Segure o hashi inferior na curva do polegar

No Japão é comum cada membro da família possuir o seu próprio hashi, e nas refeições fora de casa são utilizados os waribashi (palitinhos descartáveis). Segundo a etiqueta japonesa, não se deve separar os palitinhos que, normalmente, tem uma das suas pontas grudadas, no sentido vertical, mas sim de lado.

Segure o hashi superior entre os dedos polegar, indicador e médio. Mova-o para cima e para baixo

O hashioki é um objeto pequeno que serve como descanso para palitinhos. Caso não haja um hashioki disponível na mesa é possível confeccionar um usando o próprio envelope do waribashi.

Mantenha o hashi inferior parado e mova o superior na direção do dedo indicador de modo que eles se toquem.

 

Como confeccionar um hashioki (descanso para palitinhos)

» Em forma de trapézio
1. Dobre o envelope do waribashi (palitinho descartável) em 3 partes iguais.
2. Agora dobre o lado comprido ao meio, de forma que o hashioki ganhe o forma de um telhado.
3. Faça dobras internas nas laterais a fim de que o hashioki se torne um trapézio.
Pronto, você já pode utilizá-lo para descansar os seus palitinhos!

- Em um banquete chinês, geralmente não se serve arroz. Sua ausência é um sinal de que o anfitrião ofereceu tão ampla variedade de alimentos que seu convidados não necessitam do arroz cotidiano.
- Também na china, o uso de palitos para comer é sinal de boa educação, em contraste com o comer dos dedos. Não se usa faca de mesa, pois cortar e picar são tarefas para cozinheiros e seus auxiliares, nunca feitas à mesa.
Fonte: Livro " De caçador a gourmet" de Ariovaldo Franco

- Num jantar japonês, os convivas não se servem de saquê. Servem-se uns aos outros, jamais a si mesmos. Ao ser servida, uma pessoa não deve deixar seu copo sobre a mesa e sim, levantá-lo em direção à garrafa. Com esse gesto, demonstra ter percebido a deferência de que foi objeto, antes de agradecê-la.
Fonte: Livro " De caçador a gourmet" de Ariovaldo Franco

Para manter o costume de comer peixe, os imigrantes que chegaram ao Brasil em 1908 tiveram que aceitar algumas modificações. Como as colônias se estabeleceram nas plantações de café do interior de São Paulo, a quilômetros do mar, os únicos pescados disponíveis eram bacalhau salgado e sardinha em conserva. “Eles assavam um pouquinho e comiam com arroz, mas logo começaram a se encaminhar para Santos, na direção do litoral”, afirma o professor Mori. Enquanto isso, hábitos brasileiros, como o desjejum à base de café e pão, foram sendo assimilados.

Sattu
mesa

Um ritual, várias receitas: Veja uma típica refeição familiar da elite japonesa durante o período Edo (entre 1603 e 1867)

1Nem tão light assim
No século 16, quando o tempurá surgiu, frito por imersão, desafi ou a tradição japonesa de ausência de gordura na comida. Mas, em meados do século 19, sob infl uência ocidental, os japoneses passaram a apreciar receitas do gênero.

1Essa é minha
Até hoje, é comum que cada membro da família tenha sua própria tigela de cerâmica. Elas sempre foram mais usadas que os pratos, pois facilitam o uso do o-hashi, especialmente no caso do arroz.
1É massa!
O macarrão conquistou o Japão a partir do século 7. Era feito e cortado em tiras por hábeis fazendeiros. No século 16, o udon, longo e oco, tornou-se bastante popular. Quase toda casa tinha uma mesa de pedra para seu preparo.

1Chazinho no fim
Japão no século 14. Um abade chamado Eisai foi convocado para curar a ressaca do shogun Sanetomo. Ele indicou a bebida como remédio. Funcionou – graças ao efeito da então desconhecida cafeína.
1Perto do chão
As mesas baixas individuais surgiram no século 8. Em refeições com vários pratos, cada pessoa usava duas ou mais delas, sentada sobre uma almofada. No período Edo, um jantar de primeira classe tinha cinco mesas.

1Dá uma proteína aí! O primeiro relato a respeito do tofu, uma espécie de queijo de soja, é de 1183: proibidos de comer carne, os monges tinham nele uma fonte de proteína. A técnica de fabricação foi trazida da China.

AS VISITAS E O CHÁ

A partir do século 15, quando o comércio com outros países cresceu, uma enxurrada de novos sabores vindos do Ocidente (entre eles a abóbora e a pimenta) tomou conta do Japão. O açúcar, que antes era importado da China como medicamento, passou a ser comprado em grandes quantidades e, finalmente, produzido internamente. Em pouco tempo, receitas de bolos e doces desenvolvidas na Europa começaram a circular nas cozinhas japonesas, com uma ou outra modificação local.

No século 16, os navegantes portugueses e espanhóis trouxeram ainda mais novidades em seus navios. E acabaram por deixar marcas definitivas na culinária japonesa, principalmente nos textos dos menus. A palavra “tempura”, que dá nome a uma receita com alimentos empanados, por exemplo, muito provavelmente vem do português. “Há várias teorias da etimologia portuguesa. Uma aponta para a palavra tempero”, diz Ishige. E tem mais. O hikado, prato feito de atum em cubos, rabanete, cenoura e batata-doce cozidos com molho shoyu, vem do português “picado”. E algumas das guloseimas mais conhecidas do japonês também têm nomes portugueses, como konpeitô (confeito) e karumera (caramelo).

Na gastronomia japonesa, o século 16 também foi marcado por outro divisor de águas, a criação da cerimônia do chá. Inventado pelo monge zen Sen no Rikyû (1522-1591), o ritual mudaria para sempre os hábitos do japonês à mesa. No início, as reuniões para o chá eram cheias de ostentação. Rikyû criou regras em que prevaleciam a simplicidade e a eliminação do supérfluo. Logo essas características saíram do ato de tomar chá e se transmitiram para as refeições como um todo.

Banquetes extravagantes, por exemplo, foram banidos do Japão. “Os pratos do jantar medieval eram inteiramente cobertos de comida, empilhada simetricamente”, escreve Ishige. Com o ritual do chá, o alimento ganhou outro visual. “Passou a ser arrumado com cautela, valorizando a beleza dos espaços vazios, um princípio que sobrevive hoje como a base da estética da cozinha japonesa.”

Sattu
cozinha

Cenário culinário: Fique por dentro de uma cozinha do Japão Medieval:

1Sob Pressão
No Japão da Idade Média, surgiu uma panela exclusiva para o preparo do arroz: a kamado. Funda, era feita de ferro e trazia uma pesada tampa de madeira – o que a transformava numa precursora da panela de pressão. Era encaixada no fogão a lenha e seu desenho bojudo fazia com que o calor se concentrasse no fundo, impedindo que a água caísse no fogo mesmo quando a tampa era levantada.

1sashimi-bochô(para sashimi) 1nakiri-bochô(para vegetais) 1 deba-bochô(para peixes e frango)

1À Moda do Samurai
Se os alimentos são comidos com pauzinhos,têlos bem cortados é crucial. O manuseio das facas, chamadas de hôchô, foi bastante aprimorado no período Heian (794-1192), quando os anfi triões demonstravam sua habilidade com lâminas para distrair os convidados. Nos restaurantes do Japão, o conjunto de facas não é do estabelecimento, mas do chef – há um modelo para cada finalidade.
COZINHA FECHADA

Se o século 16 foi de portas abertas às influências estrangeiras, o período a seguir seria de isolamento. Durante o período Edo (ou Tokugawa), entre 1603 e 1867, o Japão foi dominado pelos líderes militares conhecidos como xoguns. Eles baniram o cristianismo e expulsaram os estrangeiros do país, fechando as fronteiras para o comércio internacional. Foi quando se consolidou a gastronomia do Japão. “Esse período assistiu ao surgimento do que são hoje considerados os valores supremos da culinária tradicional japonesa”, afirma Ishige. “A maioria dos pratos tradicionais comidos hoje data desse período de reclusão.” Hábitos refinados, nascidos e aprimorados nas cozinhas da aristocracia, foram gradualmente chegando a outros níveis da sociedade. Nesse tempo também surgiram os primeiros restaurantes japoneses.

A partir de 1853, os Estados Unidos começaram a pressionar pela reabertura do Japão ao comércio internacional. Em 1868, com a Restauração Meiji (que tirou o poder dos xoguns e o devolveu à família real), os japoneses redescobriram o mundo. Ingredientes até então tidos como exóticos, como a carne bovina e o leite, entraram na dieta cotidiana. Utensílios e móveis ocidentais, como os talheres e a mesa de jantar, foram gradativamente incorporados. E até o sushi ganhou versões moderninhas, enroladas em algas (nori), com direito a frutas e outros ingredientes coloridos.

O período de modernização coincidiu com a criação de regras de etiqueta que, ainda hoje, são respeitadas em ocasiões formais. “As normas mais rígidas prevaleceram até a Segunda Guerra, em todas as classes sociais”, diz Luci Fujimoto, especialista em etiqueta. No presente, a rigidez não é tanta e os encontros entre amigos são tão descontraídos quanto uma happy hour à brasileira. Mas, antes de se sentar à mesa com um autêntico japonês, vale a pena aprender a usar o o-hashi de maneira correta (veja infográfico na pág. 43). Ou você vai pagar um mico milenar.

Fonte: Consulado Geral do Japão em São Paulo

QUAL ORIGEM DO GARFO?????

GARFO - O garfo é descoberto oficialmente pelo restaurante La Tour D´Argent. Introduzido na Europa a partir do século XV, na Itália. Antigamente as pessoas comiam com as mãos, com o tempo surge uma espécie de garfo, com dois dentes , o qual as pessoas espetavam sua comida e facilitava assim a degustação.
Fonte: "Comida e Civilização" de Carson I.A.Ritchie.

FESTA FÁCIL!!!!

Recepção

O caráter da recepção deverá estar de acordo com o grau de formalidade dado à cerimônia religiosa - Informal, Semi-Formal ou Formal. Por exemplo: não seria correto servirmos um churrasco numa recepção para um casamento a rigor (noite).

Café
É evidentemente servido em cerimônias informais pela manhã. Poderá ser constituído de: leite, chocolate, café, suco de frutas, presunto, queijo, geléias, diversas qualidades de pães e biscoitos. Serviço de buffet

Coquetel
É constituído de várias espécies de salgadinhos. Poderá ser servido antecedendo o almoço ou jantar, num recinto íntimo, ou ainda no salão da própria igreja, como deferência especial aos convidados, durante os cumprimentos.

Almoço
Antecedido ou não de um coquetel, será servido em cerimônias semiformais, entre 11 e 14 horas. Assume uma conotação formal, em casos de casamentos de príncipes ou autoridades, pois estes acontecimentos tradicionalmente devem ser dimensionados para uma maior participação do povo no cortejo (por isso a escolha do horário). A escolha dos pratos dependerá do requinte que se queira dar a festa. Mas tenha como base: massas ou ovos, carne com batatas e arroz, saladas, sobremesas e frutas. Para esse tipo de almoço poderemos servir um único tipo de vinho tinto médio. Recomendamos reservar o churrasco para as festas de campo.

Coquetel com Pratos Quentes
Determinam-se horários para o início: das 19 às 20:00 hs. ou das 22 às 23 hs. Constitui-se de salgadinhos diversos e posteriormente é servido um prato quente, cuja escolha deverá atender ao fato de se comer sem faca, pois os convidados permanecem de pé.

Coquetel Buffet
Diferenciando-se pela maneira de servir o prato quente, pois este se apresenta sobre um buffet, equipado com réchaud, onde os convidados se servem à vontade, com a ajuda ou não de garçons. Esta modalidade é confundida com o jantar americano.

Jantar à Francesa
Os convidados estarão devidamente sentados ao redor de uma única mesa. Porém, hoje, quando a festa se estende a um número elevado de participantes e o espaço não nos permite acomodá-los desta maneira, poderemos optar pela acomodação em várias mesas. Reserva-se a principal para os noivos, o sacerdote se estiver presente, os membros das duas famílias procurando-se o entrelaçamento e observando-se as normas de precedência. Nesse esquema as mesas mais próximas à principal tem uma designação de lugares também seguindo o critério da precedência. Recomendamos que nessas mesas, quando possível, representando os anfitriões, se sentem membros de uma das duas famílias. Geralmente é servido entre 22 e 23 hs., obrigatoriamente precedido de um coquetel. Os garçons deverão estar devidamente uniformizados e ter obrigatoriamente as duas mãos calçadas com luvas brancas. Quanto ao cardápio, fica a escolha dos anfitriões, porém, pela ordem, deve conter: uma entrada (sopa ou creme), peixe ou crustáceo, um assado, sobremesa, queijo, frutas e/ou sorvete. Evidentemente cada prato com a sua guarnição. Atualmente para um número elevado de convidados poderemos simplificar os pratos e admitir o cancelamento do queijo e das frutas. É importante, também, a ordem das bebidas: vinho branco seco, vinho tinto (acompanhando respectivamente os pratos) e para a sobremesa, vinho branco doce ou vinho do porto, café ou licor. A água pode antecipadamente estar servida nos copos e reposta pelos garçons, constantemente. Salientamos que nunca deverão ser apresentados: duas qualidades de aves, ou repetições de pratos semelhantes, mesmo que diferenciado pela maneira de prepará-los.

Bebidas
Evidentemente não se admite o coquetel sem o serviço de bebidas. São várias as opções para a escolha, mas algumas advertências se fazem necessárias. Para os coquetéis servidos antes do almoço, recomendamos uísque, batidas caipirinhas, bitters, blood Mary, Manhattam, Martini, coquetéis de tomate e os long-drinks, como o gim-tônica. Para os coquetéis servidos antes do jantar ou à noite, recomendamos: uísque, bitters, blood Mary, Manhattam,Martini. Devemos sempre acrescentar os coquetéis de frutas e os de sabor doce como o Alexander, Martini doce e outros, devido à presença de senhoras. Atualmente, é comum servir o vinho branco seco como única bebida para um coquetel. Caso haja a opção para o vinho, ao menos, não deixe de incluir o uísque e alguns coquetéis. Deve-se servir também refrigerantes variados devido a presença de senhoras, jovens e crianças, e nunca esquecermos água, principalmente próximo ao final da festa.

Planejamento da festa infantil ou teen
A primeira etapa é planejar, concentre suas energias e criatividade para ver o que pode fazer, sente com seu filho e converse que tipo de festa deseja para seu aniversário. Verifique seu orçamento, faça a primeira prévia dos convidados e comece a pesquisar local, data, horário, tipos de temas de decoração, cardápio, animação... Caso não seja possível fazer o que seu filho deseja, faça algumas adaptações. Ter alguém para compartilhar e decidir sobre alguns produtos ajuda (avós, padrinhos, tios) Eles podem participar da organização juntos.
Reveja sua lista e leve em conta as possibilidades de irmãos, babás ou pais que poderão vir á festa.
É possível que 15% dos convidados não compareçam.

Deixe seu filho(a) participar das escolhas,
o ideal é que eles participem. Afinal,serão os homenageados. Escolhas: O tema da festa, a decoração do bolo, as brincadeiras, os tipos de brinquedos que eles e os amiguinhos gostam... Fazendo isso as crianças interagem mais e curtem tudo até o último minuto.
Certifique de que seu filho tenha uma boa noite de sono antes sa festa e o horário de preferência deve ocorrer nos momentos em que ele está descansado, de bom humor...
Lembre-se: Caso o seu Buffet infantil não disponha de tudo, peça que o mesmo apresente uma lista de profissionais que necessita para complementar sua festa ou consulte as revistas especializadas

Tipos de festas
Nos Finais de Semana
Geralmente concentram maior numero de convidados, pois quando a criança convidada tem irmãos, os mesmos provavelmente virão já que o pai ou mãe ou ambos irão trazer seus filhos.

Durante a Semana

O número de pessoas presentes na festa tende a ser menor. Geralmente os pais trabalham e então não comparecem, há casos em que uma só mãe de carona para 2 ou 3 amiguinhos, os irmãos tenham compromissos, muitos pais não vão e o numero acaba sendo menor.

Festa Direto da Escola
As festas na escola são as mais econômicas. Os pais da criança aniversariante devem organizar o transporte para o local da festa com total segurança, geram a necessidade de se oferecer o almoço ao invés de salgadinhos mas proporcionam uma festa mais econômica pois o número de convidados se restringe as crianças. Este tipo de festa é recomendado a partir dos 5 anos de idade. Caso a festa seja feita num Buffet Infantil, geralmente o custo é menor que em outros horários e a duração da festa também é menor.

Reservando a data no Buffet
É importante definir o local com pelo menos 3 meses de antecedência.Leve em consideração a idade de seu filho e dos amiguinhos e veja se o buffet tem condições de oferecer lazer adequado a todos. Nada de se impressionar com o que existe no local, muitas vezes as crianças não curtem os brinquedos em função da idade. A festa deve concentrar alegria e diversão para as crianças; tudo o que elas imaginam, é um dia muito legal e emocionante.

Cuidados na hora da contratação
Veja se o local tem boa estrutura, local de fácil acesso, de preferência próximo da escola ou região onde predomina os convidados e o aniversariante. Caso a festa aconteça direto da escola, esta preocupação pode ser menor, pois você terá que oferecer o transporte para o local. (Pode ser um trenzinho, Van...)
Se a festa for no condomínio verifique a disponibilidade de data do salão do prédio, se for em casa térrea, certamente terá muito mais trabalho pela frente, o que tornará a festa gratificante para quem organizou. As vantagens da festa em casa são a de tornar o evento exatamente do seu gosto, caso você não pretenda oferecer uma super estrutura o custo será menor, o horário da festa é mais flexível, mas gerará muito mais trabalho com a organização de tudo (antes, durante e depois).

Escolha o tema da festa
Tal qual o bolo, o tema é muito importante e deve estar relacionado com a idade do aniversariante. É necessário verificar se o personagem escolhido está disponível para a data.

Cardápio
A alimentação deve ser definida de acordo com o horário da festa.
Caso a festa seja feita em casa, Em primeiro lugar devemos considerar que a quantidade irá variar em função do horário e do público previsto.
Se a festa ocorrer no horário do almoço ou jantar, devem estar previstas 2 situações
Oferecer uma refeição, em geral, uma massa com opção de molho ou duas massas cada uma com um molho diferente e uma salada simples e também salgadinhos durante o resto da festa; Oferecer salgadinhos variados em quantidades maiores que o normal.
Se a festa ocorrer à tarde, ofereça salgadinhos variados.
Quantidades
Se a festa acontecer durante a semana, provavelmente o número de adultos será menor. Já no final de semana, deverão comparecer um maior número de adultos.
Festa a tarde: CRIANÇAS: 5 salgados, 2 docinhos e 4 copos pequenos de refrigerante
ADULTOS: 6 salgados, 4 docinhos, 5 copos pequenos de refrigerante.
Refeições
CRIANÇAS: 1 prato de massa, 4 salgados, 3 docinhos, 4 copos pequenos de refrigerante.
ADULTOS: 1,5 pratos de massa, 5 salgados, 3 docinhos, 5 copos pequenos de refrigerante
Quantidade de opções de salgados: 4 a 6 tipos.
Docinhos: 3 a 4 tipos.
Bebidas: 3 (2 refrigerantes e água)
Quando você contrato um serviço de buffet infantil, você apenas define o cardápio sem outras preocupações.
O bolo e os docinhos são itens de destaque da festa. Além de gostosos, devem ser bonitos e/ou criativos. Existem muitas mães que encomendam os docinhos modelados com os personagens do tema da festa. O bolo pode ser (falso ou maquete) feito com formato ou até com foto relacionada ao tema, seguido do bolo comestível, sendo que o consumo do bolo a média é de 100 gramas por convidado.

Animação e diversão
A diversão está diretamente ligada a idade dos convidados. Show de teatro, mágica, palhaços e/ou equipe de recreação farão jogos e brincadeiras, as brincadeiras devem ser levadas em conta a idade do aniversariante e com a média das idades dos convidados e se possível relacionadas a estória do tema da festa.
Se você optar por uma atração especial, verifique a possibilidade de relacionar a atração ao tema da festa.

Planejamento do roteiro da festa
Quase ninguém chega no horário fixado, salvo quando a festa é direto da escola.
A primeira fase segue-se com as brincadeiras se houverem monitores nos brinquedos( pula pula, piscina de bolinhas, cama elástica, infláveis, etc.). A segunda, seria á apresentação do shows de teatro e mágicas, ou qualquer outra atração contratada, apresentação de clips no telão, sessão de fotos, e na seqüência vem a etapa do Parabéns.
E finalmente a entrega das lembranças que é uma forma de agradecimento pela presença. A festa nos buffet tem duração média de 4 horas.

Mercado de buffets infantil
São paulo - capital entre outras capitais é o grande espelho para as demais metrópolis brasileiras e o interior paulista tambem se projeta, José do Rio Preto, Ribeirão Preto, apresentam excelente nivel na área de eventos infantis.
Uma boa empresa de Buffet infantil, oferece inúmeras opções de festas, com temas para todos os bolsos e gostos.
Uma boa pesquisada no mercado e você pode ter uma escolha acertada de fazer uma festa pra lá de legal para seus filhos.
Há alguns anos atrás fazer uma festa de aniversário exigia muito planejamento, organização e dinheiro para que nada saísse errado.
Quase tudo era feito pelas mães, da lembrancinha ao bolo, e a diversão ficava por conta dos palhaços ou teatrinho.
"salão de festas" os poucos que existiam custava uma fortuna.. Fazer o bolo e os docinhos, arrumar a mesa, encher os balões, providenciar as lembrancinhas, botar o som e trocar os Cds, entreter e servir os convidados, tirar fotos, filmar...
Se você esta sem pique para organizar um aniversário de seu filho e quer evitar todo esse estresse dos preparativos.
Faça o teste de fazer a festa de seu filho em um Buffet..

Vantagens de contratar um serviços de Buffet.
Não há maiores preocupações,você define o tipo básico de festa que deseja para seu filho(a), o faz a opção da festa completa, que vai do convite personalizado, decoração tematizada, animação e shows, variedades de brinquedos, sucos e refrigerantes favoritos e um cardápio com toque especial de paladar infantil.
Os buffets estruturados contam com uma série de brinquedos indicados por faixa etária: 5 anos Casinhas de bonecas, piscina de bolinhas, infláveis, pula pula, carrousel e os acima dessa idade: Boliche, Fliperamas, games, lan, snow board, Autoramas, monorail, paredes de escalada, mini quadra de futebol...
Além de não ter preocupação com a preparação você conta com segurança, serviços de qualidade, tranqüilidade e conforto para sua família e convidados. Os buffets têm ótimos planos e parcelamento que adapte em seu orçamento.

Cuidados importantes
Alguns cuidados são importantes e todas as duvidas devem ser sanadas:, Boa localização para seus convidados terem fácil acesso, Capacidade de convidados e área livre disponível , variedades de brinquedos, bom ambiente, qualidade da comida, funcionários eficientes, segurança
O buffet deve oferecer boas instalações, pergunte se é possível degustar os salgadinhos e docinhos, para que na hora da festa não haja surpresas.
Certifique sobre a quantidades de bebidas e alimentos que serão oferecidos e, tudo que foi combinado deve ser expresso em contrato por escrito e cumprido.
Atenção para os outros itens que são importantes: Decoração, filmagem, fotografias, Serviços de animação, passeios de trenzinho, etc.).
Caso o buffet não disponha da decoração que você escolheu e recreação como pula-pula e infláveis, pergunte se há restrição quanto à contratar um profissional para atender estes itens O buffet deve dispor de pontos de energia para equipe de filmagem e fotografia, e outro tipo de serviço que possa ser inserido na festa.
Não esqueça de definir o número de convidados e tenha em mente que sua lista pode aumentar até o dia da festa.

Você deve evitar
Locais com escadas, janelas baixas e brinquedos perigosos. Segurança de seu filho e dos convidados é um dos pontos principais.
Caso os amiguinhos não sejam da mesma faixa etária, peça para prepararem brincadeiras diferenciadas para cada grupo.
Pode acontecer durante a semana que muitas mães não queiram levar seus filhos para o outro lado da cidade onde está o buffet escolhido. Procure escolher buffet próximos à sua casa ou à escola das crianças. Ou defina um dia de fim de semana ou feriado.
Quando levar seus filhos nos aniversários, de uma checada geral no buffet: limpeza dos banheiros, tipos de serviços, animação das crianças, qualidade dos produtos...
Caso surja alguma dúvida, consulte suas amigas ou peça referências.
Depois de cotar a festa de seu filho (a) no seu buffet favorito. Faça as contas e veja o que é mais vantajoso. fazer a festa em casa ou no buffet. Se as diferenças forem pequenas, considere que você esta contratando um empresa especializada em festas que vai resolver todas as suas necessidades com eficiência, qualidade de serviços e produtos e principalmente conforto e segurança para toda sua família e convidados.

Lembrete: Caso o seu Buffet infantil não disponha de tudo, peça que o mesmo apresente uma lista de profissionais que necessita, ou consulte revistas, sites e até indicações.
No mais, divirta-se.

GLACÉ REAL....BRINCANDO E DECORANDO!!!

 

 

 

 

 

Glacê Real

- 500g de açúcar de confeiteiro peneirado
- 3 colheres (sopa) de pó de merengue
- 7 colheres (sopa) de água em temperatura ambiente 

Misture todos os ingredientes na batedeira e deixe bater por 4 minutos em velocidade média-baixa. Para evitar que seque. Mantenha o recipiente com o glacê coberto com um pano úmido ou em pote fechado

 

PASTA AMERICANA....DECORANDO BOLO COM ARTE!!!

 

Pasta Americana

Ingredientes:

2 colheres (sopa) de gelatina incolor sem sabor
3 colheres (sopa) de água em temperatura ambiente
1 colher (sopa) de glucose
1 colher (sopa) de gordura hidrogenada
500 g de açúcar de confeiteiro impalpável
1 colher (sopa) de essência de sua preferência (opcional)
Corante em gel (opcional)

Preparo:

Coloque a água em uma vasilha, e vá pondo a gelatina aos poucos
como se fosse uma chuvinha.
Deixe hidratar por dois minutos.
Coloque a gordura, a glucose e a gelatina hidratada em uma panela e leve ao
banho-maria, sem deixar ferver até que se dissolva tudo.
Peneire o açúcar, ponha em uma bancada e acrescente a mistura e sove muito bem.
Se ficar mole demais acrescente mais um pouco de açúcar peneirado.
Depois de sovada, acrescente a essência de sua preferência.
Se colorir use corante em gel.
Guarde em saco plástico em geladeira por 30 dias.
Para usar retire com antecedência da geladeira, sove-a com 2 colheres (sopa) de água morna ou deixe em temperatura ambiente até que ela volte ao normal

No blog  loja-dos-bolos.blogspot.com, vosces encontram um passo a passo muito bom sobre como modelas e decorar com a pasta americana!!!!

CHOCOLATE....HUM...COMO TRABALHAR COM ELE!!!

O sucesso de qualquer trabalho depende de um certo conhecimento prévio. Com o chocolate não é diferente. Mesmo que sua produção seja doméstica, vale a pena seguir algumas regras. Veja quais são elas e garanta o sucesso de público e, se for o caso, de vendas!!!

Luvas, touca e avental É mais higiênico trabalhar com luvas descartáveis, que também evitam indesejáveis “impressões digitais” causadas pelo calor das mãos. Com os cabelos presos dentro da touca ou rede e o uso do avental, você evita qualquer tipo de contaminação e a conseqüente deterioração do produto.

Calor do ambiente O ideal é trabalhar em ambientes refrigerados por ar condicionado. Na impossibilidade de fazer esse investimento, não cozinhe enquanto está lidando com o chocolate. Além de aquecer o ambiente, vai enchê-lo de vapor. A melhor solução é trabalhar à noite, quando a temperatura é mais baixa.

Dê exclusividade ao chocolate Não faça outras coisas enquanto trabalha com o chocolate. Ele exige vigilância constante para não passar o tempo ideal de derretimento, secagem e endurecimento.

Temperagem É o nome técnico do processo de derretimento e resfriamento do chocolate nobre (inclusive o diet), antes dele ser empregado. O derretimento adequado é feito a 42°C. Em seguida é feito um resfriamento gradual, até ele ficar frio (29°C a28°C), para garantir a estabilidade do produto e a facilidade de manuseio. Use um termômetro culinário para fazer essa conferência.

Quando se deve fazer a temperagem Sempre que os produtos forem feitos com chocolate nobre e diet.

Chocolate nobre É aquele que contém alto percentual de manteiga de cacau em sua composição. É o único chocolate verdadeiro. Para garantir a facilidade de manuseio, brilho e uma textura que o faça derreter na boca, o chocolate deve passar pela temperagem antes do emprego.

Hidrogenados (cobertura) Os hidrogenados levam o título de cobertura. São aqueles onde a manteiga de cacau foi substituída por óleo extraído da soja e, portanto, não é considerado um chocolate nobre. Custa mais barato, é mais fácil de trabalhar, pois dispensa o resfriamento. Encontrado nas mesmas versões do chocolate nobre (ao leite, meio amargo, branco e colorido), é ideal para a decoração em geral. Geralmente é empregado em produções de grande escala, diminuindo os custos. Porém, a qualidade final fica comprometida quando comparada a chocolates nobres, pois ele é inferior em sabor e em textura. Ele é encontrado em barra ou pastilhas.

Fracionados (Cobertura) Como os hidrogenados, também são coberturas. A diferença entre eles é que os fracionados são feitos com gordura extraída de um coco denominado palmisde que, segundo o fabricante da Siber, acentua mais o sabor do chocolate e melhora a sua textura. De brilho acentuado, dispensa o choque térmico (temperagem).

Chocolate Dietético Também chamado diet, ele é formulado para atender a certos tipos de patologia como, por exemplo, o diabetes. O termo light é para alimentos que apresentam redução de, pelo menos, 25% do valor calórico total. Entre o chocolate normal e o diet, a diferença de calorias é muito pequena, apenas 16 kcal. Por isso, o chocolate diet não é adequado para regimes de emagrecimento mas sim para atender a quem não pode consumir açúcar refinado, como é o caso dos diabéticos.

Secagem do Chocolate Deve ser feita gradualmente, sempre em geladeira. Nunca use o freezer pois o shoque térmico que ele provoca faz a fôrma suar e essa umidade vai comprometer o produto.

Chocolate que sua É aquele que ficou mais tempo que o necessário dentro da geladeira. Depois de seco, ele ficará manchado.

Tempo de execução É aquele que se leva para produzir o produto. Nas matérias não levamos em conta o tempo de temperagem do chocolate.

Embalagem Antes de embalar os produtos, aguarde, no mínimo, oito horas. Mantenha-os sobre papel manteiga em lugar fresco, livres de luz, calor, umidade e odores.

Use etiqueta Através de etiquetas, informe peso, prazo de validade (a partir do dia da fabricação), tipo de recheio ou ingredientes usados nos produtos.

Chocolates Em barras de 1 kg, você vai encontrar o chocolate nobre, e as coberturas (hidrogenado e fracionado) nas versões branco, ao leite e meio amargo. O hidrogenado também apresenta na forma de gotas. Já o chocolate dietético é vendido em barras de 500 gramas.

Banho Maria A panela, própria para banho-maria, deve ser usada exclusivamente para derreter chocolate. Não tendo a panela específica e precisar improvisar, não permita que o recipiente interno entre em contato com a água.

Derretedeira elétrica A menor delas tem capacidade para 2 litros e,a maior, para 15 litros de chocolate. Acima disso elas são feitas sob encomenda. Algumas delas, como a de 7 litros, possuem divisões internas que permitem derreter simultaneamente dois tipos de chocolate. As cubas seguem o padrão culinário, de modo que elas possam ser substituídas de acordo com a necessidade. Como a temperatura ideal é mantida automaticamente, esta é a forma mais segura de derretimento. Ao parar a produção, o chocolate que sobrar não precisa ser retirado. Basta ligar a derretedeira quando for retomar o trabalho.

Fôrmas As mais comuns são as de PVC. Próprias para modelar ovos de Páscoa, bombons, pirulitos e muitos outros produtos, têm modelos e tamanhos variados.

Tigelas De vidro ou refratárias, elas serão utilizadas em vários tamanhos durante todo o trabalho.  

Grãos, cereais e frutas secas Nozes, avelãs, amêndoas, pistache, castanha do Pará, castanha de caju (triturados, inteiros ou em lascas), granola e sucrilhos serão empregados tanto na decoração como misturados ao chocolate para produzir os Crocantes.

Produtos Dietéticos O mercado oferece uma gama de produtos como adoçantes, chocolate em barra, em pó e granulado, de consumo permitido aos diabéticos.

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, ARMACAO DE BUZIOS, GERIBA, Mulher
    Visitante número: